Cabe uma penteadeira

Quantas vezes nos pegamos enrolando pra fazer uma mudança na nossa casa ou até mesmo na nossa vida? Sempre falta alguma coisa pra sair tudo perfeito e a gente simplesmente não faz!

Aqui em casa não tinha espaço para uma penteadeira e o resultado é que eu usava a escrivaninha pra guardar tudo que tenho de maquiagem. Se não tinha espaço pra penteadeira, não tinha motivos pra dar um rumo melhor para aquela bagunça, certo? Um dia eu parei de querer perfeição e percebi uma bancada no quarto que estava sem utilidade e ela virou a melhor penteadeira do mundo. Perfeita? Não! Mas ótima pro que eu preciso e já virou um dos meus lugares favoritos em casa.

Duvido que você não tenha nada em casa, ou na vida, pra olhar com outros olhos e simplesmente mudar o que te incomoda. E nem  precisa ser perfeito! 😉

Anúncios

São Paulo: é cinza, mas é linda

Mais uma vez fomos pra São Paulo e, como sempre, foi incrível. Não canso de repetir que amo a cidade. É impressionante como sempre tem algum lugar novo pra conhecer, além de visitar amigos e repetir passeios por lugares que amamos.

Um agradecimento especial para Paula e Bruna pelo carinho e hospedagem. Muito amor pra Joice, Rico, Mi, Rafa ,e agora o Vicente, que sempre dão um jeito de estar com a gente. Agradecemos também ao Philipe e a Maya pela companhia e pelo café.

Vila Madalena + Brechó Capricho à Toa

Eu moraria fácil em Vila Madalena (quem não moraria! Rs). Muitos bares, restaurantes, casas lindas, lojas e com um clima sensacional. Toda vez que passo pelo bairro eu quero ficar. Aproveitamos que estávamos passeando por ali e fomos conhecer o Brechó Capricho à Toa, que fica bem pertinho do metrô. Pra quem curte comprar roupas em ótimo estado e por um preço justo, esse é o lugar. Além de ser uma forma de praticar sustentabilidade, tão necessária nos dias atuais, o lugar foi muito bem planejado e tem achados imperdíveis. Se você tem preconceito com brechó eu vou falar apenas uma coisa: não tenha! O Capricho é lindo, enorme, limpo e super organizado. Comprei uma saia/saída de praia da Lenny Niemeyer por R$20.
Quero voltar com mais calma com certeza!

IMG_0061.JPG

Escadaria do Patápio + Armazém da Cidade + Beco do Batman

Quando eu digo que podemos voltar mil vezes e ainda assim encontrar novos lugares, não estou exagerando. Ainda em Vila Madalena conhecemos sem querer a Escadaria do Patápio. O lugar lembra muito a escadaria do Selarón aqui do Rio. O astral é o mesmo: gente descolada se divertindo e jogando conversa fora com os amigos. Li que foi inaugurada em 2015 em homenagem ao músico, compositor e flautista Patápio Silva. É linda e vale a visita! Logo ao lado, encontramos o Armazém da Cidade, lugar que une moda, arte, cultura e gastronomia. No dia da nossa visita, estava rolando uma roda de samba com a carioquíssima Portela, muitas barraquinhas de roupas e acessórios, além de comidinhas e cervejas.

Ainda no bairro nos deparamos um uma loja da Westwing. Eu não queria mais sair de lá. Minha casa certamente poderia ser toda decorada com os itens da loja que é um sonho. No segundo andar tem um café charmoso e lindo. Não deixem de visitar!

Claro que passamos pelo Beco do Batman, que já havia ganhado meu coração como contei aqui.

Liberdade + Augusta

A Liberdade dispensa comentários. Todo mundo que anda por lá ama e volta muitas vezes e com a gente não é diferente. São muitas lojinhas pra todos os gostos. Minha dica é se perder em todas e procurar muito antes de comprar de fato o que você quer.

A Augusta virou um dos meus lugares favoritos. Você se perde e vai parar em lugares interessantes. Dessa vez a gente foi na Galeria Ouro Fino, prédio repleto de lojas e referência em moda desde a sua inauguração, em 1962. Ainda na Augusta, encontramos um cantinho chamado Villa San Pietro, que parece um pedaço da Itália. Muito fotogênico, com lojas e um restaurante.

Por lá encontramos também um dos sistemas mais legais de comércio, que já havíamos visto da ultima vez, mas que parece ter dado certo e anda se espalhando por todos os lados. São espaços colaborativos onde encontramos de tudo um pouco. Ou seja, um único lugar vendendo vários produtos de marcas diferentes como óculos, roupas, sapatos, objetos de decoração, entre outros.

Hotel Unique + Edifício Copan

Um das surpresas dessa viagem foi poder cobrir o evento Salão CasaModa, que já falamos aqui. O evento foi realizado no Hotel Unique e claro que aproveitamos pra ir até a cobertura pra conhecer o restaurante Skye e o bar a piscina, com uma vista linda da cidade.

E por falar em vista bonita, a do Edifício Copan é um espetáculo. Projetado na década de 50, por ninguém menos que Oscar Niemeyer, é um dos mais importantes e emblemáticos edifícios da cidade de São Paulo. Descobrimos que o terraço do prédio por ser visitado gratuitamente por turistas (vale ligar pra saber dias e horários disponíveis para a visita). Passeio recomendadíssimo.

IMG_0330

Edifício Martinelli + 25 de Março

Outro prédio que também pode ser visitado (vejas os dias e horários disponíveis) é o do Edifício Martinelli. De lá é possível observar vários pontos turísticos da cidade. O arranha-céu impressiona! Preciso falar da vista?

Nem preciso dizer que fiquei louca na 25 de Março. Fui um tempo atrás e posso afirmar que a qualidade das bugigangas só melhora. Sem falar dos precinhos incríveis. Pra quem tem paciência de andar em lugares cheios e gosta de garimpar coisas baratinhas, é uma ótima pedida.

IMG_0369

IMG_0391IMG_0392

WhatsApp Image 2017-04-16 at 12.10.19.jpeg

Gastronomia:

Dona Onça: o Dona Onça fica no térreo do Edifício Copan. É um bar + restaurante com uma lista enorme de prêmios e comandado por Janaina Rueda. Foi sem dúvida o lugar mais legal, gastronomicamente falando, que visitamos.

Pra comer, pedimos apenas entradinhas. Uma delas foi um croquete de carne de panela, receita da casa, e a outra foi um pão chinês com frango frito e repolho. Maravilhoso e meu preferido! Não posso deixar de destacar o atendimento, um dos melhores que tive na vida. Voltaremos com certeza!

WhatsApp Image 2017-04-14 at 20.51.40

Frangó: a casa, também com muitos prêmios, tem como destaque sua coxinha recheada de frango com catupiry. Localizada na Freguesia do Ó, chama atenção do bar as cervejas disponíveis. Dizem que a carta de bebidas é a maior do Brasil, com cerca de 300 marcas.

Barão Natural: comida vegana, barata, honesta e gostosa. Depois de um passeio furado, a comida saudável do restaurante valeu o tempo perdido. São quatro endereços na cidade e vale o custo-benefício.

WhatsApp Image 2017-04-14 at 20.53.38

Ben&Jerry’s: impossível passar pela Avenida Paulista e não parar pra tomar esse sorvete. Já tinha ido em outra ocasião e virou o favorito da vida. Amamos o atendimento e a simpatia dos funcionários. Pedi o de sempre: chocolate Fudge Brownie na casquinha tradicional feita pela casa.

IMG_0204IMG_0207

Magg Café: localizado dentro do Copan, é um café fofo com bolos de arrancar suspiros. Pedimos um de chocolate, que estava divino, acompanhado de cafezinho.

Banri Katian: fica na Liberdade. É o restaurante do Banri Hotel, mas possui entrada separada o que facilita a vida de não hóspedes. O cardápio é bem variado, com pratos chineses e japoneses. Dividimos um yakisoba e achamos gostoso e com preço razoável.

Ponto Chic: diz a história que sanduíche inventado por Casimiro Pinto Neto, mais conhecido como “BAURU” nasceu ali. Provamos e aprovamos essa delícia. Gostaria de alertar que ele é enorme. Então não faça como os cariocas aqui que pediram uma porção de fritas para acompanhar. rs

WhatsApp Image 2017-04-14 at 20.55.31

Mercearia São Pedro: antigo boteco na Vila Madalena que serve almoço e bons petiscos. É o que podemos chamar de pé sujo, mas com charme e comida gostosa. Vale destacar que o lugar é uma ótima opção para tomar aquela cerveja em garrafa gelada.

Assista um pouquinho dos lugares que visitamos.

10 fatos sobre mim

Vi na internet um post com algo parecido e quis compartilhar aqui no blog.
Acho que quando a gente se mostra de verdade aprende mais sobre nós mesmos. Sem amarras e sem vergonha. Apenas com o <3. 🙂

1)Meu sonho era ser atriz, mas fui ignorada solenemente pela minha mãe. Achei melhor não contrariar. Rs

2)Tenho pós-graduação em Jornalismo Esportivo.

3) Sofri um trauma na infância que acarretou em uma síndrome do pânico na vida adulta.

4) Tinha preconceito em fazer terapia até precisar dela e perceber que mudou a minha vida. Pra muito melhor.

5) Tenho medo de muita coisa, mas guardo tudo em uma caixa e encaro o que tiver pela frente.

6) Sou extremamente sensível e fico magoada com facilidade.

7) Converso com Deus e tenho certeza que a minha fé me salvou várias vezes.

8)Tenho um “radar” apurado para captar a “energia” das pessoas.

9) Tinha (passei a me proteger mais. O que é bom e ruim!) forte tendência pra me ferrar com os seres humanos. Riu pra mim eu já amava e achava que era meu melhor amigo da vida toda.

10) Meu maior defeito é a ansiedade e minha maior virtude é conseguir me reerguer diante de qualquer situação. Tenho uma força absurda pra superar os problemas da vida.

59b704be26cb70d4d5bd5d3d00a2bcb8

2 Anos!

Já virou tradição (contém ironia rs)! Meu blog faz aniversário e eu posto dias depois (foi dia 29 de maio). Achei uma grande coincidência lembrar de escrever novamente dia 6 de junho, exatamente como há um ano.

Entre um post aqui e outro ali, já são 2 anos. Descobertas, desabafos, compras, desejos e muitas,muitas, mudanças por aqui.

Nem sempre postando com a frequência que eu gostaria, mas sempre sendo muito verdadeira em tudo que escrevo. Com ou sem vergonha de fazer look do dia, colocando sentimentos pra fora, fazendo listas e mais listas. Até meu sorriso nas fotos era diferente. E assim esse espaço vai fazendo seu papel: o de compartilhar ideias, momentos e inspirações. Sobre a vida! ❤

_MG_7723_MG_7732p1100467r_MG_7756

Gente que te inspira (mesmo sem saber)

Senta que lá vem história. Eu estava navegando na internet e entrei no instagram. Não lembro ao certo como foi, mas fui parar no perfil de uma menina LINDA, com um cabelo espetacular e comecei a segui-la. Um tempo depois mandei uma mensagem pra ela, começamos a trocar e-mails e nos adicionamos no facebook. Descobri que ela tinha um blog onde ensinava seus truques e habilidades para manter aquele cabelão muso.

Um dia ela comentou, em um post do meu vídeo de casamento, que lembrava de já tê-lo visto em algum lugar. Disse também que havia sido uma inspiração para o dela.

Nem preciso falar o quanto isso me deixou feliz. Quando eu estava buscando referências pro meu casamento ficava arrasada, pois não encontrava por aqui noivas negras para ter uma base daquilo que ia querer. Principalmente falando de make e cabelo (ainda com química). Fiz questão de ter um blog sobre o casamento para, quem sabe, poder ajudar meninas como eu. Nossas referências vinham de sites gringos, que eu amo, mas que são distantes da nossa realidade.

E foi seguindo o perfil da Polliany e lendo o seu blog que eu tomei ainda mais coragem para passar pela minha transição e voltar a ter um cabelo natural e livre das químicas. Sem saber eu a inspirei e ela me inspirou. ❤

Ainda não nos conhecemos pessoalmente, mas o carinho e respeito que tenho por ela já é enorme. Vai lá no blog dela e no perfil do instagram e veja com seus próprios olhos se eu não estou bem de inspiração. ☺

Polliany

Blog Aumente o Volume

Captura de Tela 2015-03-15 às 10.30.55

Instagram da Polly

Anna

Tem um dedinho seu por aqui Polly!

Muito mais que aparência

Outro dia li um post de uma menina que admiro muito (Entre Topetes & Vinis) e ela falava sobre não guardar críticas negativas. Fiquei pensando nisso um tempão e cheguei a uma conclusão: Além de tentar (não é fácil) não guardar as críticas (sobre o que você veste, sobre seu comportamento, sobre sua vida…) dos outros, temos que nos defender também das nossas próprias críticas. E essa, a meu ver, é muito mais cruel.

Tente ser menos perfeccionista, menos exigente… ACREDITE em você e escute mais seu coração. Se você permanece agindo de acordo com sua ética, não vai ter crítica externa e interna que vá te abalar. Tenha certeza que a vida será mais alegre! Estou tentando e, de verdade, estou me tornando uma pessoa melhor, mais leve e feliz.

Sem medo de arriscar! 🙂

1.JPG

22.JPG

2.JPG

3.JPG

4.JPG

6.JPG

Então, eu fui embora

Eu vi, uma vez em um filme, uma carta de despedida que dizia: “se me vir diminuindo, é a distância, estou partindo. Não fique triste, não lamente. Eu preciso sumir.”.

Às vezes, desistir é a decisão mais corajosa a se tomar.

O conto de hoje é sobre a grandeza de saber sair de cena.

Do Lado de Fora

Eu queria que você fosse além das flores.

Que fosse até o balanço do quintal, onde eu sentava pra ler, pra esconder as pontas dos dedos na terra e pra pensar na vida.

Eu queria que entrasse em casa. Conhecesse meu quarto, meu armário, meus livros. Que sentasse na cama e tocasse meu violão.

Queria que visse meus cadernos, minhas poesias, minhas orações. Que lesse mais do que as palavras. Que deslizasse pelas entrelinhas, desvendasse o não dito, descobrisse a respiração de cada vírgula.

Eu queria te oferecer um copo de coca-cola, de água, de paixão. E um prato cheio de possibilidades.

Eu queria que tirasse os sapatos. Ficasse descalço. Se sentisse em casa.

Mas você não quis.

Eu quis ir além do seu jardim.

Quis ser convidada pra entrar, passar pela sala de estar, pela cozinha, pelo quarto. Quis conhecer a textura do sofá, as cobertas da sua cama, o conteúdo da sua geladeira. Quis ouvir seus CDs, ler seus textos, usar aquela sua camisa azul surrada pra dormir.

Eu quis fazer um piquenique à luz de velas no chão da sua sala. Passar o domingo vendo sua série preferida, ouvindo aquela banda que você adora.

Quis saber se você arruma a cama depois de acordar, se tem manias antes de dormir, se guarda bonecos de super-heróis na estante do quarto.

Eu quis entrar de mansinho no seu porão. Passar o dedo na poeira e ver o brilho do que tem por debaixo do pó.

Mas nós nunca passamos do portão.

Você não aceitou quando te chamei pra entrar. E nunca houve um convite seu.

De todas as cores à nossa disposição, nos restou a cor do pavimento. Da calçada. Do lado de fora.

No seu mundo não havia espaço para o meu.

Então, eu fiz o que devia fazer.

Fui embora.

embora

ju.jpgJuliana Borel é aspirante a escritora e poeta. Pra ganhar dinheiro e pagar as contas é jornalista a maior parte da semana. Pra se inspirar gosta de ouvir Guns, trilhas sonoras e esbarrar por aí em pessoas interessantes. Seu blog procurasepoesia.blogspot.com.br é praticamente seu DNA.