Uísque

Bebi água, em vão. O gosto amargo do dia anterior não sumiu. Deitada na cama não alcancei o copo de uísque que você deixou na cabeceira do lado oposto ao meu. Talvez uma bebida mais forte pudesse apagar o sabor daquela briga.

Me esforcei o quanto pude, mas não alcancei o uísque. A cama parecia infinita. A janela ao lado parecia a quilômetros de distancia. Voltei a olhar pro teto. O mesmo que presenciou tudo. Nos encaramos por um tempo, até ouvi-lo me acusando. Tapei os ouvidos, mas a voz de gesso ultrapassava a barreira e sussurrava “a culpa é sua”.

Eu não vou chorar. Há tempos cumpro minha promessa de não chorar por sua, por nossa, causa. Se tinha decidido ir embora, o melhor era que fosse. Não sentirei saudade. Quem poderia sentir saudade de você? Não. Não sentirei saudade. Nem dos beijos, nem daquele seu jeito de acariciar minha nuca, quando eu dormia de costas para você.

Quando conseguir levantar, pode ter certeza, vou pegar aquele seu caderno surrado e rasgar as poesias que fazia dizendo que eram pra mim. Quando esse teto parar de gritar, pode ter certeza, vou apagar cada vestígio seu. Vou lavar os lençois. Vou jogá-los fora e comprar novos. Quando a janela voltar pro lugar dela, pode ter certeza, vou jogar o que tiver sobrado de você por ela, esperando ver seu sangue espirrar por todo lado.

Mas, por enquanto, vou ficar deitada mais um pouco. Não pense que é por medo de me esquecer de você. É só porque o gosto amargo ainda não saiu da minha boca e a cama ainda não voltou ao tamanho normal. Não demora muito estaremos todos livres de você. E se o teto continuar berrando, mudo de casa, de estado, de País.

Sei que você não virá comigo.

uisque

ju.jpgJuliana Borel é aspirante a escritora e poeta. Pra ganhar dinheiro e pagar as contas é jornalista a maior parte da semana. Pra se inspirar gosta de ouvir Guns, trilhas sonoras e esbarrar por aí em pessoas interessantes. Seu blog procurasepoesia.blogspot.com.br é praticamente seu DNA.

Batalha de looks

Acho que não tenho um estilo definido. Na verdade, tenho certeza. Tudo dependente do meu humor, para aonde vou, se faz calor ou frio…

Nessa fase da minha vida, a única coisa certa é que tento não parecer ter 15 anos, mas ainda assim algumas vezes é inevitável.

Ultimamente, só tenho usado o que tenho vontade e estou mais “corajosa”. Mesmo que eu saia de casa insegura com o que coloquei, me jogo pra ver no que vai dar. Aprendi que somente dessa maneira vou saber/entender do que eu gosto ou não.

Qual deles vocês gostam mais?

1- Meu favorito. Usei exatamente como esta na foto e achei perfeito. Tenho vontade de usar todos os dias.

9bd46b88c1648371e107f03516d5f852

2- Tenho um carinho especial por esse look, pois tanto o vestido quanto a sandália foram presentes mais que especiais.

2bb93fb1b706bcd3967550b189d8c2db

3- Olha a menina de 15 anos aparecendo. Não sei o que acontece, quando vejo já estou na rua assim. Rsrs

825335103b81f1c5c26f8d7705716677

4- Esse é o meu mais novo xodó. Ainda não usei, mas estou aqui louca pra ver como vai ficar. Acho disparado o mais elegante de todos.

fe37bbb62a2054e8bb041a247093ffe8

Achados (Desejos) da Semana

Vou começar a semana com a minha famosa lista de achados/desejos. Por incrível que pareça é ela que me ajuda a manter o foco.

  • Faz tempo que estou de olho em uma jaqueta de “couro”. Ainda não encontrei nenhuma que fique bem em mim. Mas acho que minhas chances vão aumentar agora que quase todas as lojas estão com opções disponíveis em suas vitrines.
  • ce828b9a33f0201d37e5bfa468eb3cdd

  • O anel da vez, pra mim, são esses bem femininos e fininhos. Estou amando todos! Acho que eles vão dominar nossas mãos nos próximos meses.
  • 777096d50d9feacc1737fb275326d354

  • Scarpin pink. Depois de comprar o meu preto, a louca aqui colocou na cabeça que merece outro! Dessa vez, pink.
  • 0826ef8085f3fd8cbb1c3d7c94cf5277

  • Pôsteres na Parede. Todo mês eu digo que vou emoldurar meus pôsteres guardados e espalhar pela casa. Mas já faz tempo que eles estão lá no mesmo lugar. ☹ Já passou da hora!

7172a984ced694c7f9c986e22ff81bc7

a05d43b4faa196648357e576ac445eb5

Creditos: Fotos retiradas do Pinterest

Gente que te inspira (mesmo sem saber)

Senta que lá vem história. Eu estava navegando na internet e entrei no instagram. Não lembro ao certo como foi, mas fui parar no perfil de uma menina LINDA, com um cabelo espetacular e comecei a segui-la. Um tempo depois mandei uma mensagem pra ela, começamos a trocar e-mails e nos adicionamos no facebook. Descobri que ela tinha um blog onde ensinava seus truques e habilidades para manter aquele cabelão muso.

Um dia ela comentou, em um post do meu vídeo de casamento, que lembrava de já tê-lo visto em algum lugar. Disse também que havia sido uma inspiração para o dela.

Nem preciso falar o quanto isso me deixou feliz. Quando eu estava buscando referências pro meu casamento ficava arrasada, pois não encontrava por aqui noivas negras para ter uma base daquilo que ia querer. Principalmente falando de make e cabelo (ainda com química). Fiz questão de ter um blog sobre o casamento para, quem sabe, poder ajudar meninas como eu. Nossas referências vinham de sites gringos, que eu amo, mas que são distantes da nossa realidade.

E foi seguindo o perfil da Polliany e lendo o seu blog que eu tomei ainda mais coragem para passar pela minha transição e voltar a ter um cabelo natural e livre das químicas. Sem saber eu a inspirei e ela me inspirou. ❤

Ainda não nos conhecemos pessoalmente, mas o carinho e respeito que tenho por ela já é enorme. Vai lá no blog dela e no perfil do instagram e veja com seus próprios olhos se eu não estou bem de inspiração. ☺

Polliany

Blog Aumente o Volume

Captura de Tela 2015-03-15 às 10.30.55

Instagram da Polly

Anna

Tem um dedinho seu por aqui Polly!

Nas asas de um pica-pau

Eu acredito no amor. Nessa força sublime e magnífica que faz as pessoas cederem quando não se imaginavam abrindo mão. Eu acredito na coragem travestida de paixão e na entrega que só o amor é capaz de proporcionar. No brilho etéreo nos olhos de quem ama, nos sorrisos bobos de quem está encantado e nas frases clichês de quem quer dizer que tem vontade de abraçar o mundo depois que descobriu o amor.

Ainda que exista, o tempo todo, gente querendo provar o contrário, eu acredito no amor. Mesmo quando leio que três casais devolveram um menino de 5 anos ao orfanato só porque ele era negro, mesmo assim, eu acredito no amor. Nem as notícias de guerra, de abuso, de violência, de descaso, nem elas me fazer perder a esperança de que o amor pode salvar o planeta. Por mais que o mundo se esforce – e ele se esforça – pra permanecer esse lugar hostil em que vivemos, ainda vejo a flor no asfalto. E ela continua sendo maior do que o resto.

Eu vejo o casal que adotou o menino porque mais importante do que a cor da pele é o amor que se quer dar. Eu vejo as pessoas que lutam pelo fim da guerra e do descaso porque somos todos iguais. Eu vejo a foto de um pica-pau com um esquilo nas asas e lembro como o mundo é bonito. Como é bonito esse mundo.

Eu acredito no amor mesmo quando minhas amigas choram porque mais uma vez partiram seu coração. Mesmo quando, cansada e calejada, escuto, de novo, “não quero me envolver”. Porque o amor está aí por todo lado, doido pra achar um lugar pra morar, doido pra alguém de olhos atentos percebê-lo escondido no café da manhã servido no trabalho, no bom dia de um desconhecido, na conversa inesperada com a senhorinha que sentou ao seu lado no ônibus.

Eu acredito no amor porque ele existe. Mesmo que esquecido, fora de moda ou fora de forma. Uma flor na rua, como diria Drummond:

Passem de longe, bondes, ônibus, rio de aço do tráfego.
Uma flor ainda desbotada
ilude a polícia, rompe o asfalto.
Façam completo silêncio, paralisem os negócios,
garanto que uma flor nasceu.
É feia. Mas é flor. Furou o asfalto, o tédio, o nojo e o ódio.

picapau

ju.jpgJuliana Borel é aspirante a escritora e poeta. Pra ganhar dinheiro e pagar as contas é jornalista a maior parte da semana. Pra se inspirar gosta de ouvir Guns, trilhas sonoras e esbarrar por aí em pessoas interessantes. Seu blog procurasepoesia.blogspot.com.br é praticamente seu DNA.

Achados (Desejos) da Semana (Pelo mundo)

Quem aqui não ama encontrar lojinhas com um monte de coisas (bugigangas kkk) que só a gente entende o motivo do coração disparar? Rs

Hoje eu vou falar de duas que encontrei viajando e que não vejo a hora de retornar.

DSC_0972

Todo Moda:

Essa fica na Argentina (também no México, Chile e Peru). Conheci quando fomos ao país em lua de mel. E a típica loja que deixa qualquer mulher/adolescente louca. Tem desde bolsas e carteiras a colares, brincos e pulseiras. O melhor de tudo: precinho justo!

Você vai me dizer: – Anna, vem tudo da China! Eu respondo: – Ah gente, eu não sei, mas não tenho menor problema com isso! Sabendo procurar, você acha muita coisa legal e que dura bastante.

tendencias1-1

tendencias4-2

tendencias5-2

Onde encontrar no instagram: @todomodaoficial

no site: http://www.todomoda.com/argentina/index.php

Terra Nova:

Essa fica na Itália. As que eu entrei ficam em Firenze. Impressionante a quantidade de lojas, uma em cada esquina! E com coisas diferentes em todas elas.

Nela eu encontrei roupas, sapatos e acessórios por um preço inacreditável e com qualidade perfeita.

Captura de Tela 2015-03-02 às 10.38.07

Captura de Tela 2015-03-02 às 10.21.48

Captura de Tela 2015-03-02 às 10.20.09

Onde encontrar no instagram: @terranovastyle

no site: http://www.terranovastyle.com/it_it/